Secretaria de Saúde faz recomendações para evitar acidentes com escorpião amarelo

Evento reúne prefeitos para discutir gestão de resíduos | Cetesb
outubro 11, 2017
Represas do município de São Paulo terão fiscalização intensificada | Cetesb
outubro 11, 2017
Exibir tudo

Secretaria de Saúde faz recomendações para evitar acidentes com escorpião amarelo


Em menos de um mês, duas crianças morreram picadas por escorpiões amarelos no Paraná, um sinal claro de alerta para o risco que o escorpião representa ao ser humano, principalmente para crianças e idosos. Na nossa região, vários municípios estão infestados pelo animal peçonhento, sendo a maioria o escorpião Amarelo.

O escorpião amarelo é a principal espécie que causa acidentes graves, com registro de óbitos. Quando há registros da presença do escorpião amarelo é feita busca ativa para tentar capturar o máximo possível. A captura é importante porque esta espécie se reproduz sozinha, gerando em media 20 novos escorpiões de uma só vez a cada 6 meses.

Mesmo não existindo casos em Ubiratã este ano, a Secretaria de Saúde alerta a população quanto aos cuidados que se devem ter para evitar esse problema em nosso município, pois outra espécie de escorpião, menos ofensiva é encontrada com muita frequência na nossa cidade: o escorpião preto ou marrom-avermelhado. O Bothriurus bonariensis é inofensivo não oferecendo perigo, por isto, é uma espécie apenas controlada para a preservação.

QUE FAZER PARA CONTROLAR A OCORRÊNCIA DE ESCORPIÕES?
As medidas de controle e manejo populacional de escorpiões baseiam-se na retirada/coleta dos escorpiões e modificação das condições do ambiente a fim de torná-lo desfavorável à ocorrência, permanência e proliferação destes animais.

NA ÁREA EXTERNA DA CASA
– Manter limpos quintais e jardins, não acumular folhas secas e lixo domiciliar;
– Acondicionar lixo domiciliar em sacos plásticos ou outros recipientes apropriados e fechados, e entregá-los para o serviço de coleta. Não jogar lixo em terrenos baldios;
– Limpar terrenos baldios situados a cerca de dois metros das redondezas dos imóveis;
– Eliminar fontes de alimento para os escorpiões: baratas, aranhas, grilos e outros pequenos animais invertebrados;
– Evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo de escorpiões, como obras de construção civil e terraplenagens que possam deixar entulho, superfícies sem revestimento, umidade etc;
– Remover periodicamente materiais de construção e lenha armazenados, evitando o acúmulo exagerado;
– Evitar queimadas em terrenos baldios, pois desalojam os escorpiões;
– Remover folhagens, arbustos e trepadeiras junto às paredes externas e muros;
– Manter fossas sépticas bem vedadas, para evitar a passagem de baratas e escorpiões;
– Rebocar paredes externas e muros para que não apresentem vãos ou frestas.

NA ÁREA INTERNA DA CASA
– Rebocar paredes para que não apresentem vãos ou frestas;
– Vedar soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha;
– Reparar rodapés soltos e colocar telas nas janelas;
– Telar as aberturas dos ralos, pias ou tanques;
– Telar aberturas de ventilação de porões e manter assoalhos calafetados;
– Manter todos os pontos de energia e telefone devidamente vedados.

RECOMENDAÇÕES
Se encontrar um escorpião, coloque-o ainda vivo com cuidado dentro de um frasco e leve-o para a Secretaria de Saúde ou Unidade de Saúde mais próxima da sua residência para identificação ou comunicar imediatamente o setor de Vigilância Sanitária, telefone (44) 3543-4356. Em caso de picada, procure imediatamente a unidade de saúde mais próxima.

O post Secretaria de Saúde faz recomendações para evitar acidentes com escorpião amarelo apareceu primeiro em Pragas e Eventos.

Wander Delgado
Wander Delgado
Químico, especialista em meio ambiente e gestão de resíduos, contabilidade industrial e viabilidade técnico econômica.

Os comentários estão encerrados.